21 de dezembro de 2012

I can love - 2° capitulo

-- 97 comentários:
Uma mistura de vontade de chegar mais perto com vontade de me proteger.




Chris : Fala cara
Jus : Seu filho da puta não pagou a porra da minha fiança 
Chris : eu não tinha dinheiro, ta legal - ele disse irritado 
Jus: Inútil 

Eu só queria uma mulher para me acalmar , não , eu não estava três anos sem sexo por que ninguém merece isso, nem mesmo eu , é claro que eu contratava algumas putas para me fazer uma visita na cadeia, Chris jogou a chave do carro para mim e eu entrei no mesmo esperando ele entrar no banco do motorista . 

Chris : Sabe quem eu vi hoje na rua ?
Jus: Quem ?
Chris: Aquela gostosinha que você comia na época da escola 
Jus: Qual delas ? - ele riu 
Chris Acho que era Anne o nome dela 
Jus : A medrosinha ? Ela era tão apertadinha gostava de estuprar ela 
Chris : Você sabe que eu odeio quando você faz isso 
Jus : Para de ser viado cara , eu faço o que eu quiser e se você estivesse sozinho com aquela garota gostosa com aquele rostinho inocente , duvido que não ficaria louco 
Chris : Ta, pode até ser mas estuprar já é de mais 
Jus : Vê se me deixa em paz Christian 

Ele bufou e olhou para a janela enquanto eu dirigia para a minha casa , isso se aquilo pudesse ser chamada de casa , qual é , aquilo estava caindo aos pedaços, era em um bairro barra pesada de manhattan , seus becos eram escuros , seus prédios um tanto velhos e drogados jogados por toda a rua.

 Subi as escadas daquele sobrado velho e abri a porta da minha casa, estava tudo como eu havia deixado, seus tapetes velhos e desbotados, seu sofá simples e uma simples mesa de madeira no canto .

Chris : O que vai fazer para sobreviver ? - ele disse assim que me joguei no sofá
Jus : Roubos ? - disse como se fosse obvio 
Chris : Cara, você quer voltar para a cadeia ?
Jus : Aquele nosso roubo ao banco foi perfeito, qual é , os policias até hoje não chegaram ate a gente e nem vão chegar . Poderíamos fazer isso de novo, chega de roubos pequenos, eu não quero mais viver nessa vida de merda 
Chris : Se quiser ser preso de novo faz sozinho , por que eu to fora , cara eu não quero mais viver assim
Jus: Então vai a merda - ele bateu a porta com força 

Acendi um cigarro e soltei a fumaça presa na minha boca, minha vida estava uma merda, eu tinha perdido totalmente o controle dela e mantinha a fachada de superior querendo dizer que eu ainda tenho controle de tudo, quando eu sei que não é assim . Me levantei e sai de casa batendo a porta com força 

Anne modo ON :

Paguei a conta e me levantei pegando o meu livro e o guardando na bolsa, caminhei até um parque ali perto, o dia estava realmente lindo, ensolarado e no parque crianças corriam pela grama verde , me sentei em uma sombra feita por uma enorme arvore e ali fiquei observando o movimento.  Naquele dia lindo observei de longe, aqueles cabelos cor de ouro, aqueles olhos cor de mel que não estava vermelhado como de costume, sua jaqueta de couro e um cigarro na boca , eu podia reconhece-lo de Quilômetros de distancia e junto com aquela imagem dele andando ao parque trouxe com tudo o meu medo . 


" - Me chupa porra e para de chorar 

 A doce menina inocente botou a boca no pau do menino dos olhos avermelhados , ela o chupava e tudo que sentia era medo, ela o chupava enquanto era obrigada a olhar para os olhos do menino, era nojo , medo , repulsa tudo junto, tudo menos prazer , mas parecia que o menino do cabelo cor de cobre adorada ver a menina medrosa chorar enquanto enfiava nela " 


Meus olhos medrosos foram o perseguindo enquanto ele parava em frente a um homem com a parecência velha que vendia refrigerante, Justin comprou uma coca-cola e jogou o cigarro no chão o pisando logo em seguida, ele me olhou e pareceu não me reconhecer me fazendo respirar de alivio, ele voltou a andar e meu coração batia rápido enquanto meu corpo queria logo sair dali , ele parou de andar e me olhou de novo parecendo me reconhecer e sorriu , ah aquele sorriso irônico que aterroriza todos os meus pesadelos, ele caminhou em minha direção e era como se eu fosse aquela menina de oito anos entrando no colégio pela primeira vez, aquela menina que tremeu a olhar para os olhos dele pela primeira vez . 

Jus : Olha quem esta aqui , Anne Steley , medrosa Anne - ele disse assim que chegou mais perto, com aquela voz rouca e com aquele sorriso irônico de costume 
Vc: Justin -forcei o sorriso querendo ser corajosa, mas parece que todos sabem que uma coisa que não sou é corajosa .
Jus: Sentiu minha falta ? - ele mantinha aquele sorriso sínico no rosto
Vc : Eu preciso ir - eu disse pegando minha bolsa e me levantando 

Respirei fundo , eu pedia socorro mentalmente assim como pedia quando entrei no colégio pela primeira vez mas dessa vez eu não tinha minha mãe, não tinha ninguém, só a mim mesma. Senti suas mãos quentes envolvendo meu braço e me impedindo de continuar andando , ele me puxou para perto dele e senti sua respiração no meu pescoço . " Calma Anne , calma " 

Jus : Parece que ainda continua medrosa, eu gosto disso , desse rostinho inocente - ele disse acariciando meu rosto e tudo que eu sentia era medo.
Anne: Não sou medrosa  - minha voz saiu como um sussurro o fazendo rir 
Jus : Esta mais gostosa isso eu não posso negar , mas se acalme que eu não farei nada com você...ainda
Anne: Então o que você quer Justin ?
Jus : Que você me pague um almoço 
Anne : Por que eu faria isso ?
Jus: Por que eu estou com fome e sem dinheiro .- ele disse como se fosse obvio 
Anne: Não vou te pagar nenhum almoço
Jus: Então parece que eu vou ter que te comer - ele mordeu os lábios 
Anne : Me solta você é um idiota
Jus: Ah Anne como sinto falta do seu corpo 
Anne: Se eu te der o dinheiro você me deixa em paz ?
Jus : Uma condição
 Anne: Fala 
Jus : Almoça comigo por que eu não gosto de comer sozinho e mais uma coisa - ele pareceu pensativo
Anne: Fala 
Jus : Deixa eu morar com você ? 
Anne: QUE ? - eu gritei
Jus: Qual é , a minha casa é um lixo 
Anne: Não
Jus: Ta , já me contento com o almoço e fique contente por que hoje eu estou , como posso dizer ... bonzinho 

Ele me soltou e pediu que eu o seguisse, um passo de cada vez Anne , somente um passo de cada vez , respire fundo , tudo vai ficar bem , ele me assustava , seu olhar me arrepiava, aquele cabelo rebelde e sua barba mal feita, todas diriam que é sexy , mas eu apenas digo que é assustador .
 Ele entrou em restaurante não muito sofisticado , e se sentou em uma mesa no fundo , sentei em sua frente receosa e fiquei atenta a todos os seus movimentos enquanto ele olhava o cardápio, ele chamou o garçom e escolheu minha comida e a dele, eu pagava o almoço e não tinha direito nem de opinar no que ia comer, eu poderia reclamar mas preferi ficar quieta , até por que eu amava batata frita. 


Jus : Tem certeza que não quer que eu more no seu apartamento ?
Vc : Tenho - ele bufou
Jus: Poderíamos transar dia e noite - aquilo me fez arrepiar de medo.

                                                                 [...] Continua 

oi suas cuzonas 

A Fic é minha e se eu quiser botar a garota para ler Austen com 8 anos a porra da garota vai ler austen com 8 anos , se eu quiser botar ela pra ler austen na privada com dois anos ela vai ler austen na privada com dois anos pq a porra da fic é minha , sorry se vc n foi uma criança muito inteligente. 

Só para deixar bem claro eu n odeio que venha pedir para continuar , eu só falei que minhas mentions só tinha isso e ficava chato só isso , po tbm n sou escrota assim 

Já falei que eu tenho medo de melão ? pois se eu tenho medo de melão 

Cara n é que nas fics atuais eu tenha virado safada , véi eu sempre fui assim só que antes eu tinha o cuidado de tipo " cara elas n vão gostar se eu botar ' o pau grosso e gostoso entrou na boceta ' mas agora eu meio que tipo , vou escrever o que tenho vontade, gostou ou n o problema é seu eu sou assim e acabou

porra obrigada por ignorarem minha ideia da aba kkkkkkkkkkkk Então quem quiser escrever um textinho lindo pra mim para eu botar numa aba linda que eu vou criar manda por email flavia_alvees8@hotmail.com pronto assim fica mais facil kkkkkkkkkkkkk  sei la n precisa ser muito grande , fala o que você aprendeu em alguma ib , ou o qe vc achou sobre alguma ib , ou o qe vc acha sobre o blog

Porra ses são lerdas , ele estuprou a garota quando ela tinha 17 anos e n tres até pq quando se tem tres anos n tem nem vagina direito e ele nem teria um pau direito na epoca kkkkkkkkkkk

Vai ficar Anne pq é bem melhor de escrever se vc n quer Anne é só vc ler com o seu nome ué n é tao dificil [ seu nome ] fica feio , mas porra na proxima ib eu boto a porra do [ seu nome ] msm sendo contrariada , mas agora vai ficar anne e qem n gostou chupa meu pau imaginario 

sim I can love you more than this é da musica do 1d . foi mayara que deu a ideia e por mais que eu n goste dessa porra achei que tinha haver com a ib e n n gosto deles 

Eu quero chorar sem brincadiera KKKKKKKKKKKKK Não acredito que essa ib é com nome fixo ): " chora então mas chora longe de mim 

" Quero mandar um beijo pra mayara "  vai mandar um beijo pra mayara é o caralho 

leiam leiam http://diariio-de-uma-belieber.blogspot.com.br/ 

gente eu sou do mundo , sou de todos , todos podem ter um pedaço de mim 

Quem ai quer me adotar para passar o natal ? 





Still Pudim , colando gif de macaco 


ai tapa na cara de vcs que eu n repeti de ano de novo beajs pros recalcados kkkkkkkk estou somente em dependencia resta saber se meu pai vai querer pagar dependencia pra mim kk pq se não repetirei fora isso tranquilo po kkkkkkkkkk

beijo no seu bundão gostoso 

17 de dezembro de 2012

I can love

-- 65 comentários:

"Quando ele abrir seus braços e te segurar perto dele hoje a noite, isso apenas não parece certo porque eu posso amar você mais do que isso. "

                                                       
Segunda , 4 de fevereiro 

Mamãe prendia meu cabelo em uma trança e me olhava orgulhosa, entrei no carro e me sentei no banco de trás, eu estava assustada, não,não queria ir para um novo colégio, as crianças ririam de mim, não é normal uma criança de oito anos apaixonada por literatura clássicas em sua maior parte britânica, eu preferia viver com meus heróis da literatura do que com essas crianças que não sabiam escrever nenhuma frase completa, desci do carro agarrada com a minha edição de romeu e julieta , Shakespere era incrível e por mais que eu admirasse Bronte e Austen era sempre o clássico de Shakespere que me acolia no momentos em que o medo era meu maior inimigo, tinha crianças correndo pelo patio do colégio, parecia divertido, eu queria correr no patio do colégio, eu não tinha amigos ,eu tinha medo, olhei assustada para mamãe que me deu um sorriso, seus lábios rosados por causa do batom, seu cheiro um dos melhores que já senti, ela era linda, mamãe era linda . 

Rose : Entre filha 
Anne : Mamãe e se eles rirem de mim?
Rose : Por que ririam filha ?
Anne : Mamãe eles vão rir,eu sei disso,  eu não quero ir - me abracei a sua cintura

Seu carinho no meu cabelo me dava coragem, mamãe era a mulher mais corajosa que eu já conheci, ela não tinha medo de nada, larguei sua cintura  e voltei a agarrar meu livro com força, eu o abraçava com tanta força que machucava meu braço, peguei minha mochila e a botei nas costas e caminhei , um passo de cada vez, "Mamãe me ajuda " eu pedia mentalmente " mamãe "  eu gritava mentalmente novamente, meus olhinhos estavam vidrado nas pessoas e a cada passo eles enchiam de lagrima e cada vez mais assustados, um menino alto me olhou e aqueles olhos dele me intimidavam me encolhi a agarrei mais meu livro, ele me dava medo, ele era ruim, eu sei que ele era ruim, mamãe disse para não jugar os outros antes de conhecer, mas eu tinha medo dele, ele me encarava com um olhar de maldade, ele aparentava ser mais velho talvez uns 4 anos mais velho que eu e ele era assustador, entrei na sala de aula e ela estava ainda um pouco vazia, ela era intimidadora, suas paredes eram brancas e ela era fria, muito fria por causa do ar condicionado , havia um grande quadro negro e uma mesa laranja ao lado, provavelmente a mesa do professor, eu normalmente me sentaria na primeira cadeira mas me sentiria intimidada pelos olhares dos professores a mim logo no primeiro dia de aula, me sentei perto da janela, não era tão no fundo e não tão na frente, assim eu não chamaria tanta atenção, peguei meu casaco ele era um pouco maior que eu, eu gostava assim , agora eu estava quente e mais uma vez agarrada ao meu livro, a janela era de vidro e dava para ver o patio, no centro dele havia uma arvore enorme, eu amei aquela arvore, suas folhas estavam amarelas por causa do outono e eu fiquei encantada.
 O menino ruim entrou na minha sala, meus olhos arregalaram, ele era mais velho eu sei que era, e o que ele estava fazendo no terceiro ano do ensino fundamental ? Seus olhos ainda me davam medo, ele se sentou largado na mesa do fundo e me encarou e eu logo virei o rosto tremendo de medo " Mamãe me ajuda, me ajude mamãe " Algumas meninas com casaco rosa e mochila da mesma cor entraram conversando, nas unhas elas tinham esmalte roxo e nos lábios um batom chamativo rosa e sombra rosa para acompanhar , elas eram tão nojentas , queridos heróis da literatura o que seria de mim sem seus livros ?
 A aula acabou e grande parte dela eu dediquei a olhar a arvore grande, botei o nome da arvore de Flip , a grande Flip. Agarrei mais uma vez meu livro e minha mochila e ia saindo por ultimo da sala . 

- Anne - a professora me chamou e eu me assustei
Anne : Fiz alguma coisa de errado professora Mia ?
Mia : Não querida, eu só queria perguntar o que é esse livro que você esta agarrada a aula inteira - eu olhei para o livro e a encarei de novo
Anne : Romeu e Julieta professora
Mia : Você gosta ?
Anne : Sim, as historias de Shakespere são muito boas professora
Mia: Gosta de ler ? -assenti - gosta de ler o que ?
Anne : De tudo um pouco - a professora sorriu - por que ? 
Mia : Nada Anne, só por curiosidade já pode ir - percebi que ela estava bastante orgulhosa 

Eu voltei a andar pelos corredores abraçada com o meu livro, o menino malvado estava no canto com o mesmo olhar , senti ele se aproximando e eu comecei a tremer de medo, ele me dava medo mais medo do que o desenho do " coragem o cão covarde " e olha que aquele esse desenho me rende muitas noites de pesadelo. 

- Qual o nome da menininha medrosa ?
- Anne - eu disse me encolhendo mais e agarrando meu livro
- Justin , prazer

Ele sorriu irônico e aquele sorriso foi o suficiente para me fazer morrer de medo, como nunca havia sentido antes. 

[...] 

Quinta, 6 de agosto 

Naquela primavera recebi a noticia que mamãe e papai haviam morrido em um acidente de carro todos diziam que eles viraram mais uma estrela no céu mas eu queria eles ao meu lado e não no céu . Não me restava mais nada somente a minha vó mas ela não me amava , mamãe me ajuda , vovó não me ama e ela não sabe fazer um trança nos meu cabelos como mamãe sabia, não sabe contar historias para eu dormir como papai sabia.

[...]

Terça , 4 de fevereiro 

Me sentei no meu lugar de sempre, aonde eu podia observar Flip mas ela não estava la , alguns babacas a derrubaram para poder fazer moveis ou algo do tipo e aquela arvore era a unica coisa que eu gostava naquela escola, Justin entrou na sala e piscou para mim me fazendo tremer assim como eu tremi quando ele veio falar comigo pela primeira vez anos atrás, agora no segundo ano do ensino médio eu queria dizer que era mais corajosa em relação a ele , mas isso não aconteceu na verdade só piorou. Desde do terceiro ano do ensino fundamental ele é da minha turma o que é surpreendente contando com o fato que ele não repetiu mais nenhuma vez depois disso, todos dizem que ele a partir dai começou a pagar para não repetir e é claro que isso não é só um boato. 

Jus : Anne, então esta afim de brincar de novo ? - ele disse depois que todos saíram da sala assim que o sinal tocou.
Anne: Me deixa Justin - eu disse com medo
Jus : Eu gostei de tirar sua virgindade, tão apertadinha e tão gostosinha, sem contar os seus gritos de socorro hmmm foi excitante.

Ele deu aquele sorriso irônico e me empurrou na parede,sua mão percorria por todo o meu corpo enquanto eu tentava o afastar.

[...]
  
Sabado, 14 de julho 

" Seus olhos vermelhos denunciava o uso de drogas , seus olhar impiedoso me assustava , estava ele que não se aguentava em pé , mas um gole em sua cerveja , um sorriso sínico no rosto, sua língua passou por seus lábios e me mirava com um olhar de tesão, aquilo já era o suficiente para me fazer entrar em panico, quando se trata do Justin tudo me arrepia "  

Acordei com a respiração acelerada, me levantei caminhando ao banheiro , joguei um pouco de água no rosto e prendi meus cabelos rebeldes em um coque mal feito .

- Tudo bem Anne , tudo bem , só foi um sonho - eu repetia para mim mesma em frente ao espelho

Aquilo tinha que ser apagado da minha mente, agora sou uma mulher de 21 anos com medos de uma menina de 17 , qual é , isso é ridículo. Mesmo que seja pra mim .

[...]

Penteavam meu cabelo depois de um longo banho , hoje era sábado, ou seja, sem trabalho, eu sou secretaria em uma grande empresa, nada que ganhe muito, o suficiente para pagar o aluguel e suprir algumas necessidades pessoais . Botei uma roupa fresca, peguei a chave e sai de casa apertando o botão do velho elevador, eu morava em um pequeno e velho prédio, ele havia somente 3 andares com dois apartamentos por andar , o elevador chegou e eu entrei apertando o botão do térreo , a porta do elevador abriu e pude observar o lindo dia que estava fazendo, caminhei até a padaria da esquina e pedi um café e me sentei em uma mesa vaga, abrindo um perfeito livro de romance , algum da coleção perfeita de Nicholas Sparks.

Justin Modo On :  

Abriram aqueles grandes portões cinzas me fazendo ter a visão perfeita da rua ensolarada , respirei fundo , ar fresco sempre é bom, é, não é fácil ficar preso em uma cela de cadeia durante 3 anos, não que eu tenha feito alguma coisa muito grave, pelo menos não na minha percepção , alguns pequenos roubos aqui, pequenos contrabando ali, só o suficiente para pagar as minhas drogas.

Chris : Fala cara
Jus : Seu filho da puta não pagou a porra da minha fiança 
Chris : eu não tinha dinheiro, ta legal - ele disse irritado 
Jus: Inútil 

                                                                                             [...] Continua

oi pedaços de bostas 

Gente eu sei que esta uma merda mas é só uma introdução pra começar a historia tipo , ela criança , ela adolescente e agora ela adulta ta qualquer merda . 

Flavia fazendo finais felizes , 2012 ta ai pra quem duvida 

Então gostaram do novo lay ? essa porra dessa neve ta me irritando , o gif do banner ta mexendo ae ? se n estiver foda-se seu pc qe é lerdo , eu quis fazer um lay de natal mas eu estava super de mal humor então saiu esse caralho ae , eu ia tirar o a neve ai eu falei para mayara
" vou tirar essa neve esta escroto " 
ai a mayara falou " não tira,  você é escrota e nem por isso eu fico reclamando " 

e ai ficou a porra da neve em fim o final da outra ficou ruim pq minha criatividade foi pro caralho e eu to falando mais palavrão que o normal hoje em fim .. sei la o que falar gostava da época qe vcs interagiam comigo nos comentarios sei la pelo menos perguntava se eu estava bem kkkkkk qual é eu sou uma criança carente 

mano eu estava lendo i can see better day pq eu queria ver as merdas qe eu escrevo ai eu fiquei tipo " n pode ser eu que escrevi isso esse caralho ta muito meigo .. ai dps eu lia o dps do continua e era decepcionante  , caralho o que eu tenho na cabeça ? 

Em fim , espero que vcs votem na enquete ali do ladinho la olha la e vote n quebra o dedo 

EEE outra coisa , queria pedir um favor lindo , estava eu vendo o blog e tals algumas postagens e tipo eu queria fazer uma aba do tipo " elas falam ' ou algo do tipo sei la alguns textinhos n precisa ser grande com alguma coisa do tipo sei la " o que eu aprendi com alguma ib da flavia ae " " ou o que o blog é pra mim " sei la gente algo aqui para me tirar da carencia ai eu botava na aba para as pessoas novas verem  o quanto vcs me amam , vou tentar achar alguns que estiver nos meus comentarios antigos pq sempre tem uma fofa qe no final de ib faz e tals mas em fim mandem ae sei la se quiserem 

" foi perfeito pena que n teve parte hot " porra é final né , mas eu pensei em botar no final eles indo para a cama ai alguma coisa do tipo " Começamos com sexo e terminamos com sexo " mas só que filosofico só que cara eu olhei e aquele " DE NOVO " em negrito no final tava tão lindo 

aa foda-se tchau beijo na bunda depilada e o caralho a quatro beajs 

DIVULGA ISSO AE

16 de dezembro de 2012

Everything is start from something- The end

-- 113 comentários:
"Porque tudo começa de alguma coisa mas alguma coisa seria nada nada se seu coração não sonhar comigo"







A faculdade foi incrível, era realmente aquilo que eu queria fazer , as aulas eram divertidas e super interessantes, assim que sai da faculdade resolvi ir tomar um lanche e fiquei conversando um bom tempo com Mary uma menina que se sentou ao meu lado nas aulas , ela era branquinha e suas sardinhas tomavam conta do seu rosto e seu cabelo ruivo natural batia quase em sua bunda . Já eram meia noite e eu me levantei já imaginando como Dylan devia estar desesperado para que eu chegasse para bota-lo para dormir , ele morria medo dos monstros e não havia nem uma outra pessoa que conseguisse botar aquele menino para dormir, nem mesmo minha mãe . Estacionei o carro e entrei em casa, as luzes estavam todas apagadas e fui surpreendida pelo silencio, subia as escadas fiquei admirando aquela cena, o meu príncipe e meu sapo deitados na minha cama perdidos em um sono profundo. 

Justin modo on : 


Bota pra tocar essa merda 


Não, eu não acordei com ela abraçada a mim e muito menos com café da manhã e beijos sendo distribuídos por todo o meu rosto, eu só acordei com a luz irritando meus olhos, olhei para o lado e meu filho dormia com seu dedo na boca e a [ seu nome ]  dormia em um colchonete no chão, aquele cabelo escuro e brilhoso estava todo bagunçado e ela estava linda naquela camisola rosa bebe , eu a peguei e botei na sua cama ao lado do nosso filho e fui embora depositando um beijo na testa de cada um. 

Eu queria muito poder dizer que nos resolvemos naquele mesmo inverno e que tínhamos construído uma família com mais 3 filhos, correndo pela casa, pela nossa casa, gostaria também de dizer que tinha encontrado o momento certo para dizer a ela que amava sem que ela batesse a porta na minha cara ou risse de mim, queria dizer também que casamos de novo, do nosso jeito, até por que a [ seu nome ] entrando na igreja apenas de lingerie seria mais que épico ao som de um rock pesado que deixaria nossas mães loucas , ou se tivéssemos casado em Las Vegas com aquele anjinho escroto numa capela fodida, mas isso não aconteceu , um mês depois que assinei o divorcio eu decidi que viajaria pelo o mundo com o dinheiro da minha mãe assim como eu havia sonhado quando tinha 13 anos e cara Las Vegas é simplesmente foda, e durante essas viagens  eu devo ter dormido com 65 mulheres diferentes e namorado pelo menos 5 mulheres, mas nada que ultrapassasse um mês de namoro, mas aquela loira gostosa que se chamava Rose , eu namorei com ela durante dois meses, qual é, ela era muito boa de cama . 

 Em cada cidade que passava eu comprava um brinquedo para o Dylan e o enviava por correiro, e todos os dias dos pais ele fazia questão de enviar o presente que ele tinha feito na escola , eu com certeza não era o melhor pai mas eu amava aquele garoto , todos os dias eu conversava com ele por webcam durante horas, sobre os jogos de basquetes, sobre o novo brinquedo que eu havia mandando e eu sempre pedia para ele cuidar da mãe dele como se ela fosse uma princesa e eu dizia a ele como ele era o príncipe dela  e qualquer coisa era para me ligar , e a saudade apertava até eu chorar em frente ao computador enquanto conversava com ele e pedia desculpas por não ser o melhor pai do mundo, cara o meu garoto estava com 6 anos de idade e ele era um puto de um gostoso e eu o amava mais que tudo, sempre que eu via um menino loiro da idade dele eu me lembrava dele e queria que ele estivesse do meu lado , mas eu escolhi ser covarde e fugir de tudo que me trazia responsabilidade e foi de partir o coração quando Dylan me ligou chorando por ter brigado no colégio com os meninos mais velhos e eu não estar la para ajuda-lo. Eu era com certeza o pior pai do mundo. 

Eu era simplesmente um covarde , botei o pé no mundo para desfazer daquele sentimento que tinha em mim, mas era claro que ela permaneceria em mim até a eternidade afinal foi ela que me ensinou a amar, foi ela que me tirou do fundo do poço, foi ela quem me ensinou a viver e me deu um motivo para viver, o meu filho . Tudo na vida tem um motivo , tudo começa a partir de algo , e o nosso começou com sexo e terminou com um amor , era uma historia que tínhamos construídos que por mais que ela tenha sido criada por abismos e precipícios ela foi linda, foi linda do nosso jeito, amamos do nosso jeito . Geralmente quando você lê sobre uma historia de romance você espera que ela termine com um " sim " na igreja e com uma aliança no dedo , mas acho que eu e a [ seu nome ] nunca gostamos de regras , por que até a nossa linda historia de amor começou ao contrario , de cabeça para baixo e do avesso , ela começou com um " sim " em frente ao padre e terminou com dois desconhecidos cada um em um lugar do mundo , e para mim foi a historia de amor mais linda que já vi, por que foi a minha historia de amor, foi o meu jeito de amar e foi com a minha mulher . Eu sei que quem esteja vendo isso agora pode não ter encontrado amor que só tenha encontrado um babaca com medo de amar , mas eu sei que tinha amor ali desde o momento em que entramos naquela casa dispostos a se casar contra a nossa vontade , não vou dizer que encontrei amor no momento em que olhei para ela , por que, porra na primeira vez que eu a vi eu só tinha lugar para o tesão, mas cara ela era a mulher mais linda que já vi, a mulher mais sexy  ,  mulher mais inteligente e velho ela era a minha esposa, ERA. 

Naquele verão eu já havia visto tudo que queria ver do mundo, eu estava feliz mas estava vazio, lembro-me de Dylan me falar sobre o namorado atual da mãe dele que a uns meses depois já era o ex e que eu me lembre isso aconteceu 6 vezes e eu só queria que ela fosse feliz . Eu sai daquele avião apenas com duas malas por que porra eu não sei o que aconteceu com as outras, mas eu estava ali de volta não para voltar a uma historia de amor e sim para voltar para o meu filho e se eu tivesse a mãe dele de volta era por que eu sou um puto sortudo, caso ao contrario eu só receberia um tapa na cara e um chute nas bolas ,que cai entre nós, seria muito bem merecido.

Morar em nenhum lugar era divertido a cada noite você entrar em hotel barato e dorme numa cama que só deus sabe quem dormiu ali, mas velho a vida é muito curta, quando eu me soltei daquilo tudo eu senti no meu pulmão um toque de liberdade, eu me sentia livre pelo mundo , mas tem coisas que você simplesmente não pode esquecer , não pode se livrar e fingir que tanto faz . Voltei para casa amando-o em dobro , voltei para casa com saudades eu voltei sendo um homem diferente , eu cresci e aprendi que tudo nessa vida tem um porque , e todos os meus porquês poderiam ser resolvidos com Dylan e quem sabe com a minha eterna esposa. 
  
Dylan me disse que eles ainda moravam em sua velha casa e eu ainda me lembrava de cada detalhe dela, daquele gramado verde, de suas flores, do tom meio amarelo de suas paredes e de seu portão enorme de madeira. Eu sai do carro e fiquei olhando aquela casa, ela era por fora exatamente como antes . Era aquilo que eu queria fazer ? Queria rever a mulher que tanto mexe comigo , porque porra EU AMO AQUELA MULHER , por mais que ela tenha aquele jeito escroto , por mais que ela me xingue o tempo inteiro , por que por  mais que eu sei que ela consiga viver sem mim , eu ainda a amo e a amo em dobro, triplo e o caralho a quatro ,eu a amo.

 Eu bati na porta e botei as mãos no bolso tentando disfarçar o nervosismo. Ela abriu a porta, e ela estava linda, seus olhos ainda tinham o mesmo brilho, seus cabelos lisos ainda caiam sobre sua cintura, ela estava mais madura mas com o mesmo toque de adolescente , cara essa mulher nasceu pra mim .

Dylan : Mamãe que horas o papai vai ligar ou entrar no computador , mamãe, eu to com saudades eu quero o papai - ele disse descendo as escadas distraído.

Ele usava apenas uma cueca box branca, eu dei uma leve risada sabendo que ele andava assim em casa porque eu andava assim, os seus cabelos estavam mais loiros e com o corte parecido com o meu, seus olhos cor de mel e o seu nariz igual da mãe.

Jus: Não sei que horas ele vai ligar por que acho que ele prefere falar pessoalmente 
Dylan : Papai - ele gritou e pulou no meu colo 
Jus: Papai não vai te abandonar de novo, eu prometo - eu disse o abraçando forte
Dylan: Jura papai? 
Jus: Juro , você é a coisa mais importante para mim. Eu te amo filho 
Dylan: Eu te amo papai
Jus : Esta se comportado ?
Dylan : Sim
Jus: E o nosso trato ?
Dylan : Sim papai eu estou cuidando da mamãe como se ela fosse uma princesa - ele disse baixinho mas eu tenho certeza que a [ seu nome ] ouviu, ela sorriu e se sentou no sofá

Eu a olhei sorrindo e dei uma leve risada balançando a cabeça, ela tinha que ser minha, eu queria namorar com ela, queria casar novamente, queria ter vários filhos com ela eu queria foder com ela, eu sou errado mas eu posso ser errado ao lado dela quem sabe ela me ensine a ser certo, eu quero mostrar para todos que um vagabundo também pode amar, um sapo pode se transformar em um príncipe para agradar sua princesa, eu posso ser tudo que ela quiser. 


Dylan: O que é isso papai ?
Jus: Um álbum de fotos das viagens do papai, senta que eu vou te mostrar 

Nos sentamos no chão e eu abri aquele álbum de fotos , sua capa era marrom com detalhes dourados. 

Jus: Isso aqui foi em Los Angeles
Dylan: E isso ? 
Jus: Califonia 
Dylan : Papai você conheceu o Paul Pierce do celtics ? - ele disse com seus olhos arregalados 
Jus: Conheci e olha o que eu trouxe 
Dylan : o Autografo dele ? Você é o melhor pai do mundo , papai eu te amo 

Eu o olhei e o abracei por mais que eu quisesse esconder as lagrimas era quase que impossível, eu passei anos me torturando por não ser o melhor pai do mundo e ouvir ele me dizer que eu era para ele sim , o melhor pai do mundo , é a melhor coisa para fazer meu coração acalmar. 

Dylan : Papai espera que eu vou buscar o meu carrinho novo para você ver

Ele subiu as escadas correndo e eu continuei sentado no chão, eu a olhei e analisei tudo que eu perdi, aqueles olhos escuros, aquelas covinhas de quando ela sorria , aquele lábio macio que tantas vezes pode ser meu. Por trás de um olhar sempre vem uma historia o acompanhando, vem carregado de sentimentos e quando se olhava para os meus olhos só se podia me ver suplicando para te-la de volta. 

Dylan voltou correndo e se sentou no meu colo me mostrando seu novo carrinho vermelho, naquela tarde conversamos e riamos sem parar e sua risada era umas das mais gostosas que se existisse tão gostosa quanto a da mãe. [ seu nome ] permaneceu em silencio durante horas, eu a olhava mas seus olhos nunca estavam em mim. 

Dylan : Papai como eu nasci ?
Jus: Bom , mamãe e papai se olharam e se apaixonaram então um certo dia você foi o fruto desse amor - ouvi a [ seu nome ] rir . 
Dylan : Quando eu era bebe eu era muito bonito ?
Jus: Você era lindo filho , quando eu te olhei eu disse para a sua mãe o quanto você era o menino mais lindo  - ouvi [ seu nome ] ri novamente dessa vez mais alto
Dylan : Quem escolheu meu nome ?
Jus: A mamãe e quando ela falou que seu nome iria ser Dylan na mesma hora eu falei que esse nome era nome de homem 

A Gargalhada da [ seu nome ] dessa vez foi mais alta , ah como eu sentia falta dessa sua risada gostosa. 

Vc : Justin para de mentir para a criança, conta para ele que você ficou horas rindo por que falou que ele tinha cara de joelho, conta para ele que você falou que Dylan era nome de boiola e nos apaixonamos naquela noite Justin ? Tudo que havia  ali era tesão - ela disse risonha
Jus : Mentira filho não ouve essa idiota não

A ouvi rir , era obvio que ela estava magoada comigo mas naquele instante nada ali importava , naquela noite eu me levantei e fui embora e me encarreguei de roubar um selinho dela e juro que poderia ficar admirando aquele sorriso envergonhado durante dias que não iria me importar . 

Eu permaneci durante meses indo até a  casa dela até ajudei na mudança quando ela resolveu sair da casa da mãe . E cara doía sabe que ela não era mais minha e porra da tua dor só você sabe, só você precisa saber, meio mundo pode estar achando que eu já esqueci aquela mulher ou que um dia eu nunca a amei, até por que eu nunca fui de usar aquelas frases clichês não para o mundo, mas sei que na minha mente já fiz bom uso do clichê , por que o que é o amor sem o clichê ? Mas aprendi durantes minhas viagens que não adianta porra nenhuma você ficar se lamentando , ninguém se importa, ninguém nunca vai se importar, mas naquela noite de natal quando recebi a noticia que meu pai havia morrido eu vi que havia sim uma pessoa que se importava, era ela era a minha amada , que me protegeu nos seus braços durante a noite para me ouvir chorar em silencio, não precisava voz , não precisava de meia palavra estava tudo ali dito naquele abraço  e foi no momento de dor que eu percebi que ela ainda cumpria seus juramentos ao padre. 

" Eu prometo, amar e respeita-lo , na saúde e na doença , na pobreza e na riqueza, na alegria e na tristeza até que a morte nos separe " .

Eu e ela não combinamos com flores e corações , não combinamos com cinemas a tarde só para dar uns amassos. Quando o " Era uma vez " foi dito na nossa historia, não era esperado nenhum príncipe e princesa, não era esperado nenhuma serenata feita com um violão embaixo de uma janela , não era esperado nenhum mimo e encontros a luz de velas , era só esperado duas pessoas erradas, era só esperado " Eu e você " na nossa bagunça enquanto ela brigava comigo por deixar a tampa do vaso levantada , na nossa geladeira lotada de congelados enquanto eu reclamava que queria comer comida de verdade . Na verdade na nossa historia não era esperado nem um Final feliz , e nem um beijo no final da historia , mas eu a amava e estava disposto a quebrar a expectativa  de todos que pensou que no final restaria somente um sapo e uma princesa abandonados por ai. 
  E naquela noite eu bati na porta dela, ela atendeu já de pijama, com o cabelo todo bagunçado preso a um coque . 

Vc: Oi Justin - ela falou se espreguiçando 

Eu me ajoelhei fazendo ela me olhar confusa . 

Jus: Pera amor deixa eu tentar lembrar o que ensaiei durante o dia inteiro. Cara, o quanto fui louco de deixar você e ir embora, o quanto fui louco de não te dar flores e corações quando você quase implorou para que eu a amasse, porra mas eu te amava mas parece que não era nem um pouco suficiente para você. Você não queria um cachorro quente de beira de estrada e nem uma tarde jogando vídeo game, você queria sei la aquelas coisas chatas que só apaixonados fazem, mas porra amor olha para mim e para você , não combinamos com isso, estamos mais para sei la uma tarde fodendo e talvez um briga a noite , não interessa acabaríamos na cama do mesmo jeito, ai amor posso terminar de falar em pé ?  meu joelho ta doendo - ela riu e assentiu e assim eu me levantei 
Jus: Pronto bem melhor , só deixa eu lembrar aonde parei , calma não sai dai que eu sei que eu vou lembrar - eu disse nervoso enquanto ela se divertia - Porra não lembro, eu sabia que eu tinha que ter anotado no papel mas fiquei com medo de fazer feio e aqui estou eu fazendo pior ainda , mas foda-se, eu vim te dizer que eu te amo e fico feliz de você não ter fechado a porta na minha cara até agora , eu só quero te amar até o final do nosso para sempre, só quero acordar com você do meu lado toda manhã , mas eu me recuso falar que você acorda linda pela manhã , qual é amor , olha o seu cabelo agora - ela riu - sei la só aceita casar comigo de novo ?

Vc: Aceito 
Jus : Vai entrar só de lingerie na igreja ? 
Vc: Não - ela riu
Jus : Merda
Vc : Eu te amo
Jus: Eu te amo muito

Esse foi o nosso primeiro eu te amo dito e não sera o ultimo, por que o amor é assim , inconsciente, é capaz de tirar esperanças de corações de sombras, ele tem razões que até mesmo a razão desconhece, e se amor for pecado eu não ligo de ser o maior pecador por que o amor é o pecado mais doce que existe e se conseguiu transformar um vagabundo feito eu, consegue transformar qualquer um, consegue tirar qualquer um da sombra e leva-lo para o caminho clichê e foi assim que eu aprendi a amar , não do jeito mais bonito , mas do meu jeito.

Jus : Ainda não terminei de te amar, na verdade só to começando - eu disse assim que eu botei a aliança no dedo dela, de novo .  
                                                                                                      The end 

13 de dezembro de 2012

I can love - Sinopse

-- 41 comentários:
  • "Quando ele abrir seus braços e te segurar perto dele hoje a noite, isso apenas não parece certo porque eu posso amar você mais do que isso. " 




     Era irracional , ele fazia parte da rotina de pesadelos dela, coração acelerado, mãos suavam de medo, seu corpo querendo escapar de um perigo inexistente, ele estava tão longe mais tão presente, feche os olhos menina e conte até 10 e veja o que esta diante de seus olhos, cabelo rebelde cor de cobre, olhos cor de mel, cigarro na boca e um copo de cerveja na mão , uma jaqueta de coro, uns trocados roubados no bolso trazendo de volta seu maior medo , ah aquele sorriso irônico que é impossível de esquecer, daquele primeiro encontro no corredor do colégio anos atrás, lembrança do medo daqueles olhos tingidos de vermelho pela droga, ela queria fugir de si mesma, de sua mente e dele, se só o seu nome fazia ela paralisar e querer correr de medo imagine o que sua presença era capaz de fazer. Não era difícil de esquecer aquela menina dos olhos arregalados e azuis , abraçada a um livro de seus queridos heróis clássicos da literatura , Bronte talvez, ou até mesmo Shakespere, era mesmo fascinante o que suas palavras poderiam fazer, era fascinante o que o amor poderia fazer, era se atirar no fogo e morrer aos poucos, ah amor por que nunca acerta sua flecha de primeira? Por que não em um poeta louco apaixonado pelo mundo? Por que não num escritor de romance que poderia fascina-la todas as noites com suas historias ? Por que? Por que um garoto barato que faz o corpo da pequena menina arder em  chamas ? O que seus heróis da literatura pensaria ao ver um ser humano naquele estado depravado, de tesão e amor ? Era como água e fogo tentando se combinar. Aquilo era insano, fora do contexto, o amor é insano e fora do contexto. 


    "12 de junho de 2013

    Assim que o amor entrou no meio, o meio virou amor
    O fogo se derreteu, o gelo se incendiou
    E a brisa que era um tufão
    Depois que o mar derramou, depois que a casa caiu
    O vento da paz soprou." 


                                                          Eu sei , eu posso amar você mais que isso , eu posso fazer você mais feliz que isso, posso te levar a lugares desconhecidos e fazer você descobrir sensações desconhecidas, posso fazer você descobrir seu corpo ,eu posso  te amar do meu jeito e mostrar o quanto o amor pode ser suicida mas que por ele vale a pena morrer. 

Everything is start from something- 37° capitulo

-- 57 comentários:
Sem ele eu sou só eu, e com certeza não é tão bom quanto ser a gente.




Ela fechou a porta na minha cara e eu aqui querendo só dizer que a amava. Eu poderia arrombar aquela  porta e beija-la ,pedir para ela voltar para a verdadeira casa dela, mas eu não queria, não estragaria a felicidade dela. Sim, eu posso viver sem ela mas eu não quero, não quero ficar sem seus carinhos, sem seus olhos escuros com um toque de luxuria, sem aquele sorriso envergonhado, que de seus sorrisos era o mais lindo, simplesmente não quero ficar sem a minha mulher. Eu sou dela, só ela não sabia disso, sou dela desde que disse " sim " em frente aquele padre frouxo . 
 Voltei caminhando para casa com as mãos no bolso. Era tedioso as tardes sem elas, a loja me distraia, me distraia só em meio período por que depois que meus pés pisavam para fora daquele lugar meu pensamento era comandado por ela, minha boca pedia a dela , meu corpo implorava o dela.

Você modo on : 

Sem o Justin minha vida era mais fácil , não mais feliz só mais fácil, eu preferia uma vida conturbada a viver longe dele, mas sem amor simplesmente não dá, não tenho um pulso forte para aguentar viver amando por dois.

Ana : Serio filha ?
Vc : Sim mãe estou super animada , me aceitaram na faculdade, eu quero fazer isso.
Ana : Desing de moda ?  
Vc : Sim - eu respondi animada -
Ana : Você não sabe como eu estou orgulhosa de você - ela me abraçou
Vc: Eu também estou orgulhosa de mim mamãe 

Você modo OFF: 

Discretamente eu pedia socorro e um colo de mãe e ela me atendeu, me abraçou e permaneceu em silencio enquanto eu ouvia seu coração batendo, minha mãe era o mais próximo de uma mulher que cheguei em dois meses e chaz estava amando isso já que ele começou a servir como consolação as mulheres que eu rejeitava na balada, por mais que eu não fosse com a cara dele eu não estava me importando de dar esse gostinho a ele. 
 Uma vez minha mãe me disse que nascemos para ser , que porra , ser o que ? E durante todo o tempo isso foi um enigma para mim e foi ai que eu descobri , eu nasci para ser seu , seu marido , seu homem , ser aquele que te protegeria de todos os meteoros que caíssem sobre sua cabeça, de todos os vulcões que explodissem perto de você, de todo buraco que você não conseguisse pular. Eu sou seu porra , sou seu [seu nome] .

Pattie : Vai aonde filho ? - ela disse assim que eu me desgrudei de seu abraço e me levantei
Jus: Vou ver meu filho 
Pattie : Isso não é um desculpa para ver a [ seu nome ] , não né ?
Jus : Não mãe

Botei minha jaqueta e fui andando a casa dela, não era tão longe e o dia estava num nublado que tinha um vento gelado um tanto agradável , ela estava em casa ou pelo menos seu carro estava parado em frente , me sentei no gramado do vizinho dela e fiquei esperando que ela saísse de casa, não queria encontra-la, do jeito que eu to é capaz de eu arrancar a roupa dela aonde eu estiver e foder ela ali mesmo, fazer amor com ela em qualquer lugar esquecendo de qualquer olhar que pudesse estar por perto.  Mas em algum lugar eu li " deixe ir , se for seu vai voltar " mas o meu medo é que ela não seja minha.

Horas já tinham passado, eu olhei no relógio e já eram 18:00 horas e ela ainda permanecia em casa, a porta se abriu e pude ver ela saindo, sua mãe falou algo com ela e ela continuou andando feliz até seu carro, ela usava uma blusa branca com um casaco e uma calça jeans, seu cabelos presos e ela carregava sua bolsa e uns livros na mão. Ela tinha mesmo aderido a ideia de fazer faculdade ?  Assim que seu carro partiu eu me levantei e bati na porta da sua casa , Ana atendeu o que parecendo bastante feliz e descendo as escadas veio o meu menino, ele estava apenas com uma cueca box preta , cara meu filho é muito gostoso . 

Dylan: Papai - ele pulou no meu colo 
Ana : Oi Justin 
Jus : Oi ana , posso levar o Dylan para a minha casa ?
Ana: Acho melhor não
Jus : A [ seu nome ] não quer ?
Ana : Não
Jus: Por que ?
Ana : Um minuto que eu vou ter que lembrar todos os xingamentos que ela usou deixando bem claro que não era para você levar o Dylan para casa
Jus: Ta ana eu já entendi. - eu revirei os olhos -  Dylan, não esta com frio ? 
Ana : ele disse que ia ficar assim para ficar igual a você 
Jus: Ta um gostoso em filhão só de cueca box -eu bati na mãozinha dele enquanto a ana ria

Nos sentamos no chão da sala brincando com os carrinhos que estavam espalhados enquanto ana vinha da cozinha com uma mamadeira na mão. 

Ana: Toma Dylan - ela disse entregando a mamadeira para ele
Dylan : Não - ele disse fazendo bico e depois olhou para mim
Ana: Você sempre toma - ele olhou para mim novamente
Dylan: Não 
Jus: Vai filhão bebe a mamadeira
Dylan : Não 
Jus: Papai não liga que você beba mamadeira - ele sorriu e pegou a mamadeira
Ana: Sempre quando você esta aqui ele quer mostrar que é homem - ela disse rindo e se sentando no sofá
Jus: É o homem do papai né filho - ele fez que sim com a cabeça sem parar de tomar sua mamadeira
Jus : Ana , aonde é que a [ seu nome ] foi ?
Ana : Faculdade , ela começa hoje 
Jus: Ela comentou comigo mas não achei que ela fosse levar a serio isso 
Ana : Depois que vocês se separaram ela quer da um jeito na vida dela . Ela falou com você sobre a papelada ?
Jus: Eu não falo com ela desde que ela saiu de casa, que papelada ?
Ana : Do divorcio 
Jus: DIVORCIO ? - eu arregalei os olhos
Ana : Qual a surpresa ?
Jus : eu só achei que ... - dylan me interrompeu
Dylan : Papai me bota para dormir ? - ele disse embolado 
Jus: Claro filho -    eu disse me levantando do chão e o pegando no colo 

Subi as escadas com ele no colo enquanto ele coçava os olhos de sono. 

Jus: Ana aonde o Dylan dorme ? - eu disse ao perceber que ela estava atrás da gente
Ana: Na cama da [ seu nome ] , ainda não tivemos tempo de arrumar o quarto para ele . O quarto dela é esse em frente - ela apontou para um quarto com uma porta que havia uma princesa pendurada

Eu abri a porta  e olhei tudo ao redor, eu nunca estive ali, era tudo muito rosa como eu imaginava, o cheiro dela esta impregnado naquele ambiente, suas cortinas era rosa e sua  cama era uma linda cama branca de casal , ao seu lado tinha  um porta retrato dela com o Dylan fazendo careta, procurei por uma foto minha, alguma coisa que ela pudesse olhar e lembrar de mim, mas eu não encontrei nada e isso foi a minha maior decepção. Botei Dylan na cama e o cobri com um cobertor rosa eu beijei a testa de dylan e ele se aconchegou na cama .

Dylan : Deita comigo papai ?
Jus: Acho melhor não, sua mãe não vai gostar de me ver deitado na cama dela
Dylan: Por favor - ele disse ameaçando choro 
Jus: Sua mãe não vai gostar 
Dylan: Vai sim , por favor papai tem monstros papai - ele disse com lagrimas nos olhos e aquilo foi de amolecer o coração
Ana: Vai deita logo com ele a [ seu nome ] só vai chegar tarde 
Jus : tudo bem 

Eu me deitei meio receoso e Dylan deitou em cima da minha barriga abraçando forte minha cintura . 

Jus: Ta bem grandinho pra deitar na minha barriga , vai matar o papai - ele riu e seus pequenos braços me abraçaram mais forte enquanto Ana saia do quarto a apagava a luz . 
Jus: Ei ana - eu a chamei fazendo ela voltar e acender a luz para que pudesse me ver
Ana : Fala Justin
Jus : Por que resolveu desistir ? 
Ana : De que ?
Jus: Do nosso casamento
Ana: Justin eu percebi que não posso controlar a vida dela para sempre 
Jus: Eu queria que você nunca tivesse percebido isso - eu disse baixo 
Ana : Desculpa Justin - ela disse apagando a luz e encostando a porta do quarto

Você modo on :

A faculdade foi incrível, era realmente aquilo que eu queria fazer , as aulas eram divertidas e super interessantes, assim que sai da faculdade resolvi ir tomar um lanche e fiquei conversando um bom tempo com Mary uma menina que se sentou ao meu lado nas aulas , ela era branquinha e suas sardinhas tomavam conta do seu rosto e seu cabelo ruivo natural batia quase em sua bunda . Já eram meia noite e eu me levantei já imaginando como Dylan devia estar desesperado para que eu chegasse para bota-lo para dormir , ele morria medo dos monstros e não havia nem uma outra pessoa que conseguisse botar aquele menino para dormir, nem mesmo minha mãe . Estacionei o carro e entrei em casa, as luzes estavam todas apagadas e fui surpreendida pelo silencio, subia as escadas fiquei admirando aquela cena, o meu príncipe e meu sapo deitados na minha cama perdidos em um sono profundo. 

                                                                                                     [...]Continua 

oi pedaços de bostas com cheiro de someday. 

bom fiquem atentas que eu vou postar a sinopse da minha próxima fic já que essa já esta para acabar . 

Desculpa mas tive que comentar mais uma vez para falar sobre sua bio no twitter... "enfia um peixe no cú e diz que é sereia "! 
To sem grana, compra peixe ai pra nois enfiar no cú e sair nadando oceano a fora!  . << kkkkkkk comprarei um peixe super sexy 

sim , eu leio todos os comentarios kkk ai ai eu sou a meiguisse em pessoa

não ainda não consegui passar kk segunda feira sai os resultados mas eu já sei que n passei 

flavia?? É você?? Que meiguice toda é essa? << eu vou ter que repetir que sou meiga sempre ? 

caralho vei bem vinda ai as leitoras novas e porra meu pau ta fazendo sucesso por ai 

ta foda-se que eu to com preguiça fica ae porra que eu vou postar a sinopse daqui a pouco para falar a vdd ela já ta pronta mas to em duvida kk n sei se esta realmente bom . 
divulga essa porra ae e tchau